2leep.com

Guerrilha Verde

Guerrilha verde


Canteiros abandonados viram jardins e hortaspor Luca Predabon



Viver em grandes centros urbanos não precisa ser sinônimo de ambientes áridos, poluição e cimento. Pelo menos é o que pensam e fazem os ativistas de um movimento chamado Guerrilla Gardening, que começou no ano passado em Londres e já tem adeptos nos quatro cantos do mundo. Sem qualquer tipo de autorização, os guerrilheiros do verde saem na calada da noite armados de idealismo, pás, mudas e sementes nativas em busca de áreas abandonadas para transformá-las em pequenos jardins ou hortas. Angariando seus voluntários através de diversas comunidades online ou na base do boca-a-boca, a Guerrilha Verde “vandaliza a cidade com natureza” e já contabiliza centenas de atos de jardinagem terrorista em lugares como Finlândia, China, Itália e Canadá. Mesmo correndo o risco de serem flagrados, os grupos são responsáveis pela manutenção de seus canteiros. Uma iniciativa simples, que, além de trocar o cinza pelo verde, também abre os olhos das pessoas para a responsabilidade social e para o desperdício de espaços que poderiam estar gerando beleza e inspiração aos habitantes. Mas não é preciso violar as leis públicas para ajudar a revitalizar o cenário urbano. Comece ao redor de sua casa, cuidando da fachada e da calçada com plantas e flores, ou no jardim do condomínio – e quem sabe indo mais além e adotando uma praça. Para isso você só precisa pegar seu dedo verde e discar para a prefeitura de sua cidade.


Veja também:
Guerrilha Verde: Os canteiros abadonados estão com os dias contados. Quer fazer parte da luta pelo verde? Conheça os projetos e saiba onde buscar informações sobre a adoção de uma praça.

2 comentários:

Anônimo disse...

Oi, Hanah, linda sua "casa" nova. Curioso é que, quando o mundo se dividiu entre duas ideologias, o desgaste do planeta provou que só existe uma humanidade. A falência do planeta não distingue ninguém, não é verdade... Viva o verde, viva verde. Beijão.

maat disse...

muito bonita esta casa, Querida Hanah.

Adorei.

Bjs,

***maat